"Freedom of choice is what you got. Freedom from choice is what you want."

Devo

→ Alcance: como aumentar seus visitantes únicos

Caíque Severo, em seu recém-criado blog, o excelente "Conteúdo e Audiência":

Direto: usuários que chegam ao seu site sem passar por outro site antes. São aqueles usuários que têm o seu site configurado como página de abertura do navegador. Toda vez que o navegador é acionado, o seu site é carregado. Também podem ser usuários que digitam o endereço do seu site no campo de URL do navegador. Dependendo da ferramenta que você usa para medir sua audiência pode ser que outras fontes de tráfego, como programas clientes de email também gerem acessos identificados como Direto. Ou seja, se o usuário clicou em um link para o seu site dentro do Outlook para desktop (não a versão web), esse tráfego pode ser identificado como direto.

Com as grandes mudanças recentes na forma como temos consumido mídia internética, eu tenho adotado um outro approach em relação ao tráfego de origem direta: eu prefiro chamá-lo de tráfego desconhecido.

A proliferação de apps especializadas, não apenas de redes sociais (facebook, twitter, instagram, whatsapp, etc) e e-mail, mas também de outros serviços como de leitura posterior (instapaper, pocket, readability), feeds (reeder, feedwrangler) e reformatação (flipboard, newsstand), entre tantas outras coisas que ainda sequer pensamos só vai fazer com que o famigerado tráfego direto aumente.

Por outro lado, os browsers unificaram a barra de endereços com a barra de busca, fazendo com que digitar o domínio completo tenha mais chances de te penalizar do que se vc apenas digitar o nome do site. Por exemplo, se você digitar “g1.globo.com” você tem muito mais chances de errar o endereço do que se apenas digitar “g1”, realizar uma busca e clicar no primeiro resultado — especialmente nos pequenos teclados de smartphones e tablets.

Ou seja, por outro lado o tráfego direto como o conhecíamos (pessoas que entraram diretamente no seu site digitando a URL) só tende a diminuir com o tempo, já que cada vez mais as pessoas irão vir através do clique via Google.

Quando você fala pras pessoas passarem a encarar a chamada origem de tráfego direta como “desconhecida”, isto naturalmente causa um ímpeto no gestor de audiência: “Então como faço para identificá-lo?”.

E aí começa uma excelente iniciativa de identificação das fontes e conteúdo, como por exemplo a de encurtador de urls próprio, que junto com tags UTM de Analytics consegue etiquetar o tráfego que antes entraria como Direto, ajudando na gestão das fontes de audiência.

→ Motherfucking Website

You. Are. Over-designing. Look at this shit. It’s a motherfucking website. Why the fuck do you need to animate a fucking trendy-ass banner flag when I hover over that useless piece of shit? You spent hours on it and added 80 kilobytes to your fucking site, and some motherfucker jabbing at it on their iPad with fat sausage fingers will never see that shit. Not to mention blind people will never see that shit, but they don’t see any of your shitty shit.

Tão simples e tão correto ao mesmo tempo. Faz lembrar da velha máxima que quem já está neste mercado de Internet sabe de cor e salteado: no fundo continuamos fazendo as mesmas atividades de sempre, só muda a largura de banda.

"A good designer finds an elegant way to put everything you need on a page. A great designer convinces you half that shit is unnecessary."

Mike Monteiro

"Design is content with intent. Content without intent is noise. Intent without content is decoration."

Joe Sparano

"People who know what they’re talking about don’t need PowerPoint"

Steve Jobs

"Minimalism is not a lack of something. It’s simply the perfect amount of something."

Nicholas Burroughs

"People forward stories they like and comment on stories they hate."

Clay Shirky

"New is easy. Right is hard"

Craig Federighi

Akira Kurosawa

Akira Kurosawa

(via parislemon)